Domingo, 26 de Junho de 2011

Santos e "La Rojita", onde talento e sucesso são precoces

 

Finalizada a copa Libertadores e o Europeu de sub-21, é momento de reflectir e analisar o que estas conquistas significam.

 

A principal ideia é clara, o futuro de Brasil e Espanha estão aqui representados.

 

Neymar (19 anos), Ganso (21 anos), Danilo (19 anos), Thiago (20 anos), Muniain(18 anos), Javi Martinez (22 anos) e inclusivé Mata  com 23, são todos jogadores de enorme talento e que serão com certeza figuras importantes no futuro.

 

O caso mais mediatizado é sem dúvidas o de Neymar, o jovem do Santos é o maior símbolo do novo Brasil de Mano Menezes e é nele que recai a esperança do futebol espectáculo voltar à selecção canarinha e com isso também o hexa campeonato no próximo mundial.

 

É em certa medida irresponsável por parte dos media brasileiros colocar a Neymar este tipo de responsabilidade, sobretudo tratando-se de um jogador de 19 anos e que ainda não actuou regularmente em provas de alto nível.

 

Não retiro o mérito ao que Neymar conquistou no Santos, mas parece-me prematuro realizar vaticínios descabidos quanto à sua qualidade como jogador, algo que muitos indivíduos com voz no mundo do futebol realizaram.

 

Afirmações como "Neymar é melhor que Ronaldo" , "Neymar é melhor que Messi"  ou "Neymar será melhor que Pélé", não contribuem em nada para a evolução do jogador e não passam de crenças dos próprios autores, que ao proferi-las publicamente acreditam que estas passaram a ser verdade.

 

 

O estabelecimento deste tipo de comparações são apenas traços de arrogância que nos últimos anos têm traído o futebol brasileiro. O Brasil já não é a selecção temível de outros tempos e é necessário que os seus responsáveis entendam que uma mão cheia de jogadores habilidosos não chega para ter sucesso.

 

Mano Menezes tem sido prudente no discurso e na revolução da equipa, mas a meu ver era também aconselhável deitar alguma água na fervura quanto ao fenómeno e alarido instalado à volta de Neymar.

 

Um bom exemplo para os brasileiros, é o dos nossos vizinhos espanhóis.

 

O trabalho que está a ser realizado não só na selecção A mas em todos os escalões não tem adjectivos. A performance da selecção de esperanças foi formidável e garante que a fórmula de sucesso é transmissível.

 

Foi com humildade e trabalho que a Espanha atingiu e consolidou o estatuto de melhor selecção do mundo, e engane-se quem pense que é possível através de outro método.

 

 

A juntar aos nomes anteriormente referidos, é espantoso verificar que Busquets tem 22, Pedro tem 23 e Fabregas ainda tem 24 anos.

 

Estamos perante uma geração de talento "precoce" e que em certa medida é extrapolada a nível mundial por aqueles que são os dois melhores da actualidade.

 

Cristiano com 26 conquistou quase tudo e Messi com 24 é já elevado a melhor de todos os tempos.

 

Resta agora esperar pelo proximo capitulo, os holofotes voltam-se para a Copa América e certamente que estes aspectos serão novamente discutidos, não fosse a co-habitação de Neymar e Messi na disputa por estrela maior do torneio.

publicado por A.S às 19:10
link do post | comentar | favorito
|

.Votações

Quem irá sagrar-se campeão nacional 2013/2014?
  
pollcode.com free polls 

.arquivos

.tags

. todas as tags

.Abril 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29

.posts recentes

. A febre da Copa

. Villas-Boas nos Spurs, o ...

. A jornada dos grandes (16...

. As duas faces dos Citizen...

. Craques em destaque: Heun...

. Análise Mundial 2014: Gru...

. Análise Mundial 2014: Gru...

. Análise Mundial 2014: Gru...

. Análise Mundial 2014: Gru...

. Serie A: Quem desafia a J...

blogs SAPO

.subscrever feeds